01 março 2010

Pequenos comentários #3 - Oscar

No post abaixo, eu disse que faria comentários sobre Guerra ao Terror, Um Olhar do Paraíso e O Segredo dos Seus Olhos, mas troquei este último (que, a propósito, achei maravilhoso) por Invictus. Confira:

GUERRA AO TERROR

Em Guerra ao Terror, Jeremy Renner interpreta William James, um soldado americano especializado no desarmamento de bombas. Nós acompanhamos o seu trabalho e o de seus companheiros no Iraque em várias sequências de pura tensão - construídas sem trilha estridente nem cortes rápidos, soando sempre com uma verossimilhança admirável – pontuadas por outras que expõem o impacto emocional que esse trabalho e tudo que o envolve têm sobre eles – o exemplo perfeito disso é a passagem em que James tira a máscara de homem inabalável e chora no banheiro. Não gostei apenas do envolvimento exagerado que ele estabelece com o garoto. Embora fique claro que o desejo por riscos faz parte de sua natureza, a atitude tomada jamais parece verdadeira, sobretudo porque foi planejada, e não circunstancial, como acontece posteriormente. De qualquer forma, isso é incapaz de ofuscar as qualidades do longa, que, em vez de hastear a bandeira estadunidense ou fazer qualquer tipo de campanha pró ou anti-guerra , concentra-se apenas nas pessoas que fazem parte dela.

Guerra ao Terror
The Hurt Locker, Kathryn Bigelow, 2008.

UM OLHAR DO PARAÍSO

Uma garota é assassinada e passa a observar sua família e o responsável por sua morte antes de fazer a passagem para o paraíso. Uma premissa interessante, mas muito mal aproveitada, e eu precisaria escrever um texto enorme para conseguir falar sobre tudo o que não gostei em Um Olhar do Paraíso: a estrutura desorganizada, o roteiro inconsistente, as cenas que flutuam na narrativa sem qualquer encaixe na história (às vezes, elas até parecem pertencer a outro longa), os personagens mal aproveitados e, claro, as passagens loucas e muitas vezes infundadas no in-between. Quase nada funciona. E digo “quase” somente em virtude de uma cena de tensão, que é bem conduzida - embora termine de forma ridícula e seja baseada na decisão tola que um personagem toma de permanecer em determinado local -, e de Mark Wahlberg, que oferece um pouco de carisma; porque nem Stanley Tucci, que recebeu uma indicação ao Oscar de Ator Coadjuvante, entrega uma interpretação além do normal. E o desfecho, coerente com tudo o que fora apresentado até então, apenas confirma o que se acentua à medida em que a projeção avança: que filme patético.

Um Olhar do Paraíso
The Lovely Bones, Peter Jackson, 2009.

INVICTUS

Invictus traz todos os elementos de um filme de esporte: lições sobre os limites, o preconceito, a competição, a união... A diferença aqui é que o personagem principal é Nelson Mandela (Morgan Freeman), uma grande e importantíssima figura da história mundial, e conta a luta real desse homem, que, depois de passar 27 anos preso e se eleger presidente logo após a sua libertação, conseguiu, por meio do rúgbi, unir uma nação que vinha de décadas de sofrimento em função do apartheid. Tirando algumas cenas extremamente piegas e desnecessárias – empregada ganhando ingresso e policial comemorando e levantando um menino negro na rua –, Invictus é um filme bom e, se você se deixar envolver, até emocionante.

Invictus
Invictus, Clint Eastwood, 2009.

5 comentários

Robson Saldanha disse...

Guerra ao Terror: é um filme realmente muito bom e impactante mas não a ponto de levar o Oscar. Tudo tem uma excelente harmonia e Jeremy está muito bem. 9,0/10,0

Um Olhar do Paraíso: Nunca vi um filme enganar TANTO em um trailer. Ele não é de todo mal mas ainda falta muito para ser um bom filme.

Invictus: Para mim Eastwood não decepciona e nem erra na mão. Mas ando com um pé atrás com este filme!

Diego Rodrigues disse...

Concordo com as notas, apenas com Um Olhar do Paraíso que dei apenas uma estrela. Mas vamos lá:

Guerra ao Terror é um filme forte, complexo. Merece sim todas as menções a prêmios.

Um Olhar do Paraíso é patético mesmo.

Invictus é mais um bom filme na filmografia de Eastwood.

Samantha disse...

Diego, eu cheguei a diminuir as estrelas de Um Olhar do Paraíso e depois aumentei. Acho duas muito e uma pouco, mas isso ainda deve mudar mais algumas vezes. Estrelas são ingratas.

Eduardo Quagliato disse...

Falando como espectador, "The Hurt Locker" me agradou. Não foi o filme que mais me prendeu na cadeira. Não sei se por tensão excessiva (que eu sempre contorno com uma ação cirurgicamente planejada) ou por simplicidade do roteiro (sim, eu achei o roteiro simplista). Do ponto de vista técnico, foi o filme que mais me agradou. Acredito que caso ele não fosse lançado no mesmo ano de "Avatar", talvez Kathryn Bigelow recebesse uma coroa de louros por tal obra.

"The Lovely Bones" é... mal-feito. Isso pra mim resume tudo. Meu desapontamento com Peter Jackson é imensurável em tal película. Sinceramente, nunca esperaria tal ponto do homem que tornou realidade (um dos meus sonhos) a caminhada do anel. Mas...

"Invictus" não assisti, então me reservo o dever de não opinar.
:D

Robson Saldanha disse...

Num peço mais pra você atualizar isso aqui, não! ¬¬'

Postar um comentário

Leia as regras:
- Seja educado: comentários ofensivos não serão tolerados.
- Escreva corretamente: por favor, internetês e miguxês não são agradáveis de se ler. Faça uso do português correto.